domingo, 4 de julho de 2010

Bem Aventurados os Aflitos...


Amigos:

Recebi recentemente a seguinte correspondência:

Bom dia Paulo.

Cheguei até seu blog, através das traduções de alguns vídeos de Eckhart postados no you tube. Coincidência ou não, cresci ouvindo meu pai falar sobre Krishnamurti (presença ) e logo após seu falecimento, conheci Eckhart através da minha esposa, que talvez fale a mesma coisa, porém numa linguagem muita mais acessível e contemporânea, falo de Eckhart.

Assim como Eckhart, também na minha adolescência, sofri da doença do pânico, mas diferente do mesmo, obtive uma melhora em sessões de terapia. Ainda hoje, me sinto preso a certos condicionamentos, mas consigo entender que não sou essa voz dentro da minha cabeça...sei que essa voz é produzida pelo ego, e que portanto existe um eu mais profundo que devemos buscar, afinal esse eu mais profundo significa libertação.

Houve um momento em minha vida, que realmente senti uma bem aventurança, se é que posso chamar assim, uma vez que não se aproxima do que relata Eckhart, porém me vejo em alguns momentos, preso a esse eu ilusório, que toma as rédeas de minha vida me gerando sofrimento.

Como ter certeza? Como conseguir transcender e adotar esse estado de bem aventurança como seu estado de plenitude? Nesse mundo material, onde fica fácil observar tais comportamentos, traduzidos em grandes eventos de egoísmo, como deixar o presente entrar em sua vida, sem se preocupar com sua conta bancária? Estamos rodeados de compromissos, esposa, filhos, trabalho, as necessidades mais simples, para nos mantermos aqui nesse planeta, é essa questão que me aflige, e que me faz pedir ajuda.

Obs:. Espero que entenda meu comentário a seguir: tive dificuldade para interpretar os textos em seu Blog, acredito que falava sobre as sociedades que influenciadas pelo ego ilusório, deturparam a história, e transcreveram as mesmas para atender esse desejo e também que esse fato ( presença, percebida pelo eu mais profundo ) já ha muito vem sendo discutido, no entanto, a linguagem apenas se diferencia, uma das outras...ex: Eckhart X Krishnamurti, falam o mesmo, só que interpretam em linguagens diferentes.

Posso fazer outro comentário, o que acha das palavras do Eckhart quando diz "Viver é morrer antes que você morra, assim descobrirá que a morte não existe"

Muito prazer, obrigado.

****
Minha resposta:

Bom dia amigo.

Assim como você há muitos outros que apesar das diferenças circunstanciais em suas histórias pessoais de vida trazem a marca do mesmo estado fundamental de consciência que é o que eu chamei de Consciência de Limite. Nesse sentido pode ficar certo que todos nós que trazemos (querendo ou não) essa Consciência de Limite não só nos reconhecemos imediatamente, como entendemos perfeitamente as questões e aflições que, por causa desse estado, nos acompanham muitas vezes desde crianças.

Esse estado de Limite é o esgotar das possibilidades de nossa atual consciência-ego: a consciência da posse, a consciência do conflito, a consciência do medo fundamental. E esse conflito se apresenta exatamente pelo atrito entre esse possuidor fundamental em nós que luta em permanecer, e a harmonia de uma emergente Nova Consciência - latente em nós -, a Consciência do SER.

O que Krishnamurti, Eckhart Tolle, assim como os ensinamentos gnóstico sagrados de todos os tempos dizem, em diferentes termos e estilos, mas sob os mesmos fundamentos, é que o Ego, por mais bem intencionada que seja sua vontade, não pode construir, apreender, essa nova Consciência SER. Tudo o que o Ego fizer pensando em agir como construtor, na verdade reforçará ainda mais sua posse, mesmo que seja uma posse de atributos mais sutis, excitantes, tomados indevidamente como libertadores.

Portanto, amigo, assim como no parto essa aflição espiritual só cessará quando a criança nascer. E parece que esse é um parto difícil.

Hoje em dia não só cada um da humanidade sofre essa tensão do limite como a própria civilização global egóica chega ao seu ponto crítico.

O que temos que fazer?

Primeiro: Daí a Cesar o que é de Cesar. As coisas correntes, triviais, materiais por mais insossas, penosas ou incomodas que possam ser devem ser resolvidas ou atenuadas material ou psiquicamente e não espiritualmente (até porque isso não funciona). Nosso trabalho, nossa família, nossa saúde física e psíquica devem e tem que ser cuidadas às nossas próprias custas segundo as obrigações e possibilidades que temos com nosso corpo, nossa cultura e nossa comunidade.

Segundo: Venha a nós o vosso Reino. Isto é, anelemos fundamentalmente por essa Nova Terra (tanto cósmica como microcosmicamente) tentando discernir nosso papel como homens de humanidade em transição, não tomando a Força Absoluta Sagrada como uma nova meta a ser conquistada ou possuída mediante qualquer método ou tecnologia de exploração “espiritual” a ser aprendida, exercitada e empregada.

Terceiro: Seja feita [ou: que flua] a Sua Vontade [do Pai] ou em outros termos: Aprendamos a OBSERVAR esse fluir. Isto é, percebamos que tudo o que se passa em volta ou em nós, simplesmente... se passa; é o que é, seja o que seja. Dispensa rótulos, julgamentos, definições ou intervenções intelectuais que os nomeie, conceitue, justifique, aceite, combata ou os tente transformar.

Esse terceiro ponto é o mais difícil de se abordar com e para a consciência Ego e porisso todo o esforço desses ensinamentos espirituais tenta apontá-lo sempre de novo, e de novo, e de novo, ...

E por fim: "Sede Transeuntes" (Evangelho Gnóstico de Tomé - dito 42)


Sugiro que clique abaixo e reveja pausadamente os clipes; tudo o que precisa ser dito está lá sintetizado.


Um abraço

Paulo Azambuja

6 comentários:

Maria Helena disse...

Boa tarde Paulo! Hoje estou conhecendo alguns trabalhos bonitos na internet. O seu é um deles o qual terei prazer de acompanhar, sempre!
Hoje quero compartilhar o que aprendi no Congresso de Curitiba (NPU- Núcleo de pesquisas Ufológicas), sobre UFO, pelo Núcleo de Pesquisas ufológicas.Assisti as palestras e ontem comecei colocando o resumos de "Andy Tomas so "Circulos Ingleses". tentarei hoje colocar o resumo de Stonehill(Russo) autor do livro Agenda Secreta. Ambos falam das teorias Conspiratórias, com maior ou menor ênfase, cada um. Mas aprender de fonte direta do pesquisar é maravilhoso. Eles estarão amanhã no Instituto de Pesquisas Projeciológica Brasileira(IPPB) criado pelo Wagner Borges em são Paulo no bairro Ipiranga. Coloquei tudo no meu blog, endereço, telefone e informações sobre os palestrantes. desejo-lhe um bom final de semana. Um abraço e muita Paz e Alegria.

Juliano disse...

Fala Paulo. Estou aqui por meio do youtube também, só passei pra te dizer que os videos traduzidos são de imensa valia, se puder por favor continue o ótimo trabalho. Obrigado.

ENIO disse...

Olá Paulo,

Agradeço também sua disponibilidade em traduzir as palestras do Eckarth. Obrigado.
Também tenho um livro que tenta explicar os meios que vivenciei para experimentar momentos de paz. Está disponível gratuitamente no site www.mundomental.com.br.
O aprofundamento nas experiências já traz contentamento no dia-a-dia.

Abraço fraterno.
ENIO

ENIO disse...

Paulo,

Tentando esclarecer o questionamento do amigo que lhe escreveu sobre morrer antes que a morte venha, vejo que a experiência de matar o "mim" pode fazer você perceber que a consciência está fora do corpo que pode morrer, mas evidentemente, estando sua consciência expandida e afastada do "mim", o corpo tomabado será testemunhado pela consciência que é você realmente (expandida), então nesse momento você poderá perceber que a consciência do que a vida É permanece, embora o corpo mantenha-se inerte, morto e estendido no chão. E olha, mesmo sem corpo a consciência experimenta substância, a vida propriamente dita e que está subjacente a toda forma manifesta. Por isso entendo que só existe a vida mesmo, a morte não, porque ELA - a vida, permanece sempre.

Abraço outro.

ENIO

Anônimo disse...

Boa noite Paulo. Conheci seu blog através dos vídeos de Eckhart Tolle. Hoje, enfim, consegui parar para ler o que escreve. E lá vai desabafo por culpa do que senti em conhecê-lo!!!Desde minha adolescência sinto-me diferente do que se chama "normalidade" e não conseguia me adequar a qualquer tipo de religião proposta em nosso meio. Aos 24 anos conheci Huberto Rohden e a partir de então, segui acompanhando seu trabalho. No entanto, sempre tive discernimento na leitura e até mesmo chego a escrever na borda do texto: "Isso não professor! Acho ...". Coisa que até hoje com 67 anos acho engraçada qd releio. Gosto muito de reler o que separei considerando útil pq sempre passa por um crivo mais aguçado com a evolução da consciência que vou adquirindo. Obviamente, e já está claro, não sou seguidora "bitolada" sem raciocínio próprio e muito menos iconoclasta! Tenho em mim a certeza do Deus e do Cristo que creio e sigo. NADA altera o meu modo de sentir, a certeza que vem de dentro (prefiro dizer "sentir" do que "pensar")! Li tb Krishnamurt e segui alguns de seus ensinamentos. Tudo que sigo passa pelo "crivo" do que creio e tenho certeza. Nem me pergunte de onde vem tal "certeza" pq não sei responder. Sou considerada um pouco "mal adaptada" na sociedade. Este termo gentil é para não dizer claramente "maluca" "excesso de franqueza" e coisa do tipo. Minha vida nunca foi descomplicada e nos últimos 10 anos posso dizer que complicou-se muito. No entanto, "nadinha" de perder a fé no que tenho! Nos últimos dois anos, vinha me sentindo "quase" que seguida por diversas correntes filosóficas estranhas (?) e bravamente resisto! Não sou estudiosa de filosofia, religião ou similares. E bem ao contrário, sou da área de saúde com concentração no campo da ciência exata. Assim, tudo que escrevo em meu face é sem este compromisso. E no que escrevo integro de forma completamente consistente e ajustada, palavras de Eckhart Tolle com outras de Huberto Rohden e sempre dos Evangelhos ou Novo Testamento (Cristo). Uso muitas vezes o Quinto Evangelho de Tomé. Nada sei sobre Cristianismo Gnóstico e comecei a conhecê-lo com vc. No entanto, a palavra "cristianismo" como é usualmente empregada, não é aceita por Huberto Rohden no que concordo literalmente. Agora vejo vc escrevendo sobre isso e senti enorme afinidade! Vou acompanhar o que escreve e seu raciocínio, e vamos ver o que o meu interior diz. De qualquer forma, quero dizer que foi com enorme prazer que lhe conheci! Já havia enviado mensagem através do youtube e agora vai diretamente: OBRIGADA POR NOS PERMITIR ACESSO EM PORTUGUÊS DAS PALAVRAS MARAVILHOSAS DE ECKHART TOLLE! Tenho os livros dele tb. Paz! Namaste! (o meu Deus hein! será diferente do seu? rsrsr)

BEL DE MELLO disse...

Paulo, gostaria de discordar, posso?

1-"Dai a César o que é de César..."
Por isso o mundo é como é...ninguém ("do bem") tem a coragem de violar as regras (cruéis) que o sistema nos impõem...e o sistema as criou para se manter firme e forte...é como alimentarmos uma célula cancerígena...se vc sustenta o sistema: trabalhando, pagando contas e impostos, você é UM FINANCIADOR DO SISTEMA e, portanto, AJUDA A MANTÊ-LO E A PERPETUÁ-LO...É UM CO-AUTOR DE TODAS AS MAZELAS Q O SISTEMA IMPÕE DE CIMA PARA BAIXO (pois quem está no topo desta pirâmide maldita NÃO TRABALHA, NEM PAGA IMPOSTOS! SÓ OS TROUXAS COMO NÓS! INDIVÍDUOS COMUNS, IGNORANTES E DESINFORMADOS.).