quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Está Na Hora de Avisar aos Goym

Amigos:

Essa postagem é uma nova versão atualizada de uma postagem que coloquei aqui em agosto de 20014 e teve 600 visualizações.
Os comentários sobre a primeira versão estão colocados no fim deste texto.

Aqui coloco tão somente FATOS expostos em  documentos, textos e pronunciamento de JUDEUS.







Leia em http://www.dailystormer.com/netanyahu-promises-to-make-the-talmud-a-reality-in-israel/

3 - Livro de um Rabino Permitindo a Matança de Crianças Goy se Torna Best Seller 

Jerusalém - Um rabino judeu lançou um livro dando aos judeus permissão para matar não-judeus, incluindo bebês e crianças, que possam representar uma ameaça real ou potencial para os judeus ou Israel. "É permitido matar os justos entre os não-judeus, mesmo que eles não sejam responsáveis ​​pela situação de risco", o rabino Yitzhak Shapiro, que lidera a Yeshiva Od Yosef Chai no assentamento Yitzhar, na Cisjordânia ocupada, escreveu em seu livro " Torá do Rei ".

Ele argumenta que os goyem (um epíteto depreciativo para os não-judeus) podem ser mortos se eles ameaçarem Israel.

"Se matarmos um gentio que pecou ou violou um dos sete mandamentos - porque nos preocupamos com os mandamentos - não há nada de errado com o assassinato."

Não-humanos

O edital controverso é apoiado por numerosos rabinos afiliadas com o chamado campo nacional-religioso, bem como o seminário talmúdico em Jerusalém Ocidental, conhecido como Merkaz Ha'rav.

Entre os rabinos que apoiaram publicamente o edital estão Yitzhak Ginsburg e Yaakov Yosef.

Ginsburg tinha escrito um folheto glorificando o assassino Goldstein e chamou-o de "figura santa."

Pontos de vista de Shapiro sobre como os palestinos e não-judeus, em geral, devem ser tratados de acordo com a lei religiosa judaica (halachá) são amplamente vistos como representando o mainstream não a exceção em Israel.

Durante a ofensiva israelense contra Gaza no início deste ano, Mordecahi Elyahu, uma das principais figuras rabínicas em Israel, pediu o exército não se abster de matar crianças inimigas, a fim de salvar a vida de soldados israelenses.

Ele até pediu ao governo israelense para levar a cabo uma série de bombardeios aos centros populacionais palestinos em Gaza.

"Se eles não pararem depois de matarmos 100, então temos de matar mil. E se eles não pararem depois que matarmos mil, então devemos matar 10.000. Se eles ainda não pararem, teremos de matar 100.000, até um milhão. O que for preciso para detê-los."

De acordo com Israel Shahak, autor de "História Judaica, Religião Judaica: o peso de três mil anos", o termo "seres humanos" na lei judaica refere-se apenas aos judeus.

Muitos rabinos ortodoxos judeus, especialmente no setor nacional-religioso, visualizam as convenções internacionais incriminatórias à matança deliberada de civis e destruição de casas e bens civis como representando "moral cristã" não vinculada aos judeus.

Em 2006, o Conselho Rabínico de assentamentos judaicos na Cisjordânia pediu ao exército "para ignorar a moral cristã e exterminar o inimigo no norte (Líbano) e no sul (Faixa de Gaza).

Tais decretos manifestadamente racistas e odiosos não levantam muitas sobrancelhas em Israel, nem entre entre os intelectuais, nem na sociedade em geral.

4 - Ben Gurion Ex Primeiro Ministro de Israel 

Uma das coisas que os assassinos sionistas alegam é que estão apenas respondendo às violências dos terroristas. 
Mesmo que fosse isso, a desproporção da resposta já atestaria a flagrante imoralidade e vilania de Israel. 
Mas pior que nem é isso! Esse texto mostra, irrefutavelmente, que muito antes de qualquer eventual 
ato terrorista o esquema de dominação já estava todo planejado.


5 - Ayelet é hoje Ministra do Governo Israelense


     5- "Com Amor de Israel" Mensagens de meninas de Israel escritas nos mísseis a serem lançados no Líbano

 Mensagens de meninas de Israel escritas nos mísseis a serem usados no Líbano

6 - Glyn Secker - "Judeus pela justiça para os Palestinos"



7 - Omer Goldman - Filha de um ex chefe da Mossad



  8 -Isral Shahak Historiador Judeu israelense


9 - Mk Wilf - Judia e ex legisladora israelense


 10 -  Carta Aberta dos Judeus Sobreviventes do Holocausto

http://www.noticiasonline.eu/carta-aberta-dos-judeus-sobreviventes
-holocausto-aos-governos-de-israel-e-dos-estados-unidos/

11 - Amy Goodman Ex- ministra de Israel sobre os "dissidentes"




12 - Nurit Peled - Elhanan Professora de lingua e educação na Universidade Hebraica de Jerusalém
"Os palestinos nos livros escolares de Israel (Como se faz a desumanização de um povo)"





13 - Gerald Kaufman um judeu-britânico veterano membro do parlamento, compara a ofensiva israelense em Gaza aos nazistas que forçaram sua família a fugir da Polônia.





14 - Norman Finkelstein, com a autoridade psíquica e moral de um único (e valoroso) judeu remanescente de uma família que teve todos os seus ascendentes maternos e paternos exterminados no holocausto fala sobre o conflito EUA-Israel versus Palestinos

 

15 - Shlomo Sand - Professor de história na Universidade de Tel Aviv e autor do polêmico livro"A Invenção do Povo Judeu"



16 - Todo o dia na Palestina

Veja o Clip - clique aqui 



Veja também (em inglês) o documentário: 




Veja o Clip - clique aqui





Esses foram os comentários recebidos pela primeira versão dessa postagem 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

'Nós Hipotecamos o Futuro', Entrevista com o sociólogo Zygmunt Bauman


Amigos:


Sociólogo Zygmunt Bauman
Eis o vídeo seguido de alguns comentários: 




Veja aos 14:20 minutos do vídeo quando ele diz que imprimir mais dinheiro não seria alternativa por gerar inflação.

Essa entrevista foi em 2011 quando a grande “mágica” de dar créditos aos bancos à partir de nenhuma produção real, mas simplesmente apropriando-lhes valores digitais à partir do NADA, salvando-os constantemente da falência e assim aumentando exponencialmente o débito nacional e mundial, mas também aplicando mecanismos repressores da inflação, como os rendimentos negativos das aplicações, foi arquitetada pelos economistas americanos e implantada pelo Central Bank.

Essa gambiarra ultra tecnológica e sofisticada foi chamada de “QE” – “Quantitative Easing” que é algo tal como se faz  com aqueles doentes irrecuperáveis do CTI permitindo-lhes ir vivendo na medida em que  a cada nova parada cardíaca ministra-se-lhes a recuperação sofisticada que os aparelhos médicos  permitem e assim o doente volta a viver até a próxima parada e assim sucessivamente. Só que a cada novo reviver mais tempo fica usando o CTI levando assim mais celeremente sua família à falência
 
É por isso que os esperados estouros das bolhas considerados iminentes em 2011 se seguraram e a bolha conseguiu crescer exponencialmente até hoje (2015) sem estourar, mesmo que às custas da deterioração crescente, mas controlada, de todo o organismo social.

E é aí que, nessa contramão, entrou a muito bem sucedida política econômica de inclusão do governo brasileiro permitindo que até hoje, ao contrário da Europa e do próprio EUA, tivéssemos um crescimento e inclusão social.

Mas se o mundo se desestabilizar como uma fileira de dominós, o que é inevitável e parece já estar acontecendo, em algum momento breve o Brasil vai também sofrer como um componente dessa fileira, desse mercado mundial. 

Por  isso entendo perfeitamente a política de contenção do governo Dilma com o Levy e espero que o necessário rigor técnico com a nossa gerência da economia (vai doer!) seja social e politicamente dirigido pela visão política e social  de inclusão que vem norteando nosso governo nesses 15 anos.

Se entrasse um outro dirigente com uma política do tipo europeia, certamente esse não seria responsável pela crise econômica, mas passaria a gerenciar o Brasil como já se faz na Europa (veja a Grécia, a Espanha e Portugal) com grande marginalização, concentração de renda e exclusão.

Mais para o fim do vídeo ele fala no caos e confusão que gerou o interregno entre a morte do primeiro imperador romano Rômulo e sua sucessão e termina dizendo que estamos num desses interregnos e portanto nada se pode prever como solução.

Minha observação aqui é que esse nosso atual interregno vai muito além de simplesmente uma mudança local e específica de uma cultura em particular. 

Encerra todo um ciclo milenar de nossa civilização e se abre para...

No livro "Atualidade do Cristianismo Gnóstico" (Baixe-o a partir da coluna à direita do Blog) dizemos: 

“Estamos numa crise de limite de consciência. Nossa crise é uma crise de consciência! Tudo o mais são os sintomas dessa crise” 

Paulo Azambuja

sábado, 13 de junho de 2015

O JOIO E O TRIGO







Paulo Azambuja: Proponha!!! Viabilize!!! Faça o que É POSSÍVEL para avançar. Você não está mais num carro de som!!

AJF: Estou com ele. Essas MPs do ajuste fiscal foram a gota de água que faltava para a paciência dos trabalhadores. Ou bem que o governo Dilma honra os compromissos de campanha e o discurso petista ou se rende de vez às politicas neo-liberais da direita e aguenta as consequências. Não dá para conduzir em cima do muro, iludindo seu eleitorado para agradar os banqueiros.

Paulo Azambuja: É assim que você vê o contexto, a situação, as possibilidades reais de FAZER ou não Fazer as coisas de poder ou não poder fazer, de articular um modo de GOVERNAR conciliando os objetivos limitações?

Vamos propor o seguinte: Que a Dilma de ao Paulo Paim um Ministério de Soluções com ampla liberdade, mas de-lhe também um prazo para resolvê-las. Mas eu disse fazer realmente coisas acontecerem e não fazer discursos e queixas porque isso fica com o carro de som do sindicato. Trata-se de GOVERNAR. Que tal?

AJF: As soluções são simples, porém politicamente indigestas ao governo feito de coalizões espúrias com o que há de mais podre e elitista neste país e provavelmente de rabo preso com determinações vindas do exterior. Ao invés de arrochar o trabalhador, ataque as maiores fontes de renda, as grandes fortunas. Paralelamente busque investimentos no exterior (já que fez m... na administração anterior) para cobrir os rombos fiscais. Porém não no FMI. É sabido que atualmente existem outras fontes onde o Brasil pode recorrer. Paulo Pain é um politico e não um tecnocrata da economia. Ele vê a consequência do problema levantado por Dilma e está na sua função de reclamar contra essas medidas. As soluções o proprio governo já sabe. Só não quer aplicá-las por outros motivos.

Paulo Azambuja: Sim, como não pensei nisso antes! Vamos acabar amanhã com as coalizões, vamos decretar que o rabo deve ser solto, vamos decretar o imposto sobre as grandes fortunas, vamos cobrir os rombos fiscais com uma ampla reforma, vamos cobrar imediatamente todas as fraudes do fisco, vamos diminuir os deputados e os senadores e os vereadores e cortar profundamente as despesas da câmara e também cortar o salário dos juízes, vamos tirar o Gilmar Mendes do STF para acabar com o financiamento particular, vamos mudar o presidente da câmara.... Desse modo poderemos tirar o Levy porque vai sobrar um monte de grana e aí então a gente aumenta o salário mínimo saneia a caixa do INSS, acaba com o fator previdenciário e muito mais. 
Como você disse as soluções são simples, não é?

Bem, quer dizer vamos não, a Dilma é que tem que fazer isso, afinal ela não é a Presidenta? Mas como você disse que "ela não quer aplica-las", então só vai nos restar comprar uma panela e ficar batendo e pedindo o "impichi", não é?

E mais com esses "aliados" assim nem se precisaria de Globos e Vejas.

AJF: Os atuais aliados neo-liberais e salvadores da economia já estão encarregados de afundar com o pt e governo Dilma. Quanto às medidas propostas acima, se ela tivesse saco (que não tem literalmente falando) para tomar pelo menos algumas delas mais efetivas, já resolveria e muito sem arrochar o lado mais fraco da sociedade.... o trabalhador.

E essa historinha da governabilidade, que aliás eu defendia e muito em nome de uma frente mais popular e patriótica de "centro"-rsrs-esquerda, agora já não cola mais. Visto que a tal governabilidade está direcionada para o lado errado da sociedade brasileira, em favor da direita e contra os direitos dos trabalhadores. Lamento mas é inaceitável esse tipo de "peace" governamental onde a corda fica no pescoço do trabalhador. O Paulo Pain está absolutamente certo em bater o pé. Ou o PT retorna às suas origens anti neo-liberais e trabalhistas ou ele tem que cair fora desse barco furado mesmo.

Paulo Azambuja: Pois é, vamos acabar com essa "historinha de governabilidade" quem precisa disso?

Mas não bate o pé não, é muito silencioso. Bate panela.

AJF: Certo isso. Serve tudo. A Dilma está conseguindo o impossível... unir trabalhadores e coxinhas. Pode?

Paulo Azambuja: É verdade. A Dilma virou um símbolo, um mote, um catalizador do joio e do trigo mental.

E há joio e trigo em todos as categorias humanas.

Esse será o único e definitivo bipartidarismo da humanidade: de um lado o joio e de outro o trigo. Irreconciliáveis.

Clique aqui e assista a entrevista completa da Dilma no programa do Jô em 13/06/2015

Um abraço

Paulo Azambuja 


quinta-feira, 16 de abril de 2015

A RELIGIÃO MANDEANA


Amigos:
Aqui traduzo este artigo de James Bean. 


Os Mandeanos ainda se manifestam em pequenas comunidades de emigrantes pelo mundo.
Eis aqui uma cerimônia de Batismo de Mandeanos no rio Nepean em Sydney Austrália

Uma mulher Mandeana, conhecida em árabe como Sabéia,
 lê um livro religioso enquanto marca a "grande festa",
 o ano novo Mandaeano, de acordo com o calendário
Sabeu em Bagdá, em 19 de julho de 2010.
A história dos Mandeanos (Man-day-yens) lembra um pouco a experiência de tribos nativas americanas; que eles possam sobreviver; que a sua sabedoria antiga possa ser compartilhado com a humanidade.

Na década de 1970, professor Kurt Rudolph escreveu seu livro definitivo sobre a natureza e a história da religião gnóstica, "Gnosis". No capítulo intitulado "A Relíquia: os Mandeanos", ele registrou que na época restavam apenas cerca de 15 mil Mandeanos e o número de sacerdotes Mandeanos estava diminuindo rapidamente. Ele os descreveu como uma comunidade em estado de crise, não só devido a uma escassez de sacerdotes, mas também por causa da crescente lacuna espiritual e cultural entre os idosos (que são os guardiões do conhecimento antigo) e as gerações mais jovens de Mandeanos leigos. 

Kurt Rudolph escreveu: "A própria existência da comunidade dependerá essencialmente de conseguir ou não resolver o problema de uma adaptação necessária ao mundo moderno. Só assim ela será, como a religião gnóstica mais antiga, com seus dois milênios de história em que desenvolveu sua linguagem aramaica independente e um estilo de vida como nenhuma outra seita gnóstica do passado, capaz de sobreviver no futuro." (Gnosis, Harper Collins) E estas palavras foram escritas muito antes da ascensão de Saddam Hussein, da Guerra do Golfo, e da loucura atual que amaldiçoou aquela região por muitos anos. 

[Nota do tradutor : Infelizmente depois que foi escrito esse artigo a situação, como não se podia imaginar, tornou-se ainda pior e a região esta sobre o domínio do grupo exterminador ISIS

Assírios e mandeanos em um encontro cristão em Bagdah.
Alguns Mandeanos (significando, "possuidores de conhecimento secreto") vivem em cidades iraquianas como Bagdá e Basra.
Há uma grande população Mandeana que reside em cidades mercantis menores e aldeias da região pantanosa no sul do Iraque e perto dos rios Tigre e Eufrates. 

O Irã também tem uma população Mandeana; muitos deles habitam ao longo do rio Karun, na província de Rhuzistan. O profeta Maomé os chamou de "sabeus", ou seja, "os batistas ou batizadores", um nome que ocorre no Alcorão e que lhes permitiu continuar sob o Islã. O Islã também os categorizou como "o povo do livro," uma religião que possui suas próprias escrituras antigas. Outro fator que tradicionalmente lhes permitiu operar no mundo islâmico é a sua afiliação com João Batista. João Batista é um dos seus maiores profetas para o Islã.

Embora a conexão histórica entre João e os Mandeanos seja difícil de se verificar, é de fato possível que eles sejam descendentes dos discípulos de João Batista, que há 2.000 anos teve um grande número de seguidores que acreditavam ser ele um grande mestre se não o esperado Messias. Após a morte de João, o Novo Testamento retrata Jesus como sendo seu sucessor espiritual, mas outros líderes da comunidade de João podem ter visto as coisas de forma diferente. Como Jesus, outros também podem ter reivindicado serem os sucessores de João e, assim, tornaram-se os líderes de uma comunidade Joanina, que manteve a sua independência em relação ao Movimento de Jesus, e permaneceram como eram - uma seita batismal heterodoxa da Trans-Jordânia.

De acordo com os estudiosos de estudos Mandean como Werner Foerster, de fato as origens dos Mandeanos se volta para a tradição Palestina judaica do primeiro século dC na região do rio Jordão. Foerster afirma em "Gnosis II", publicado pela Oxford University, que, no contexto da guerra judaica de independência e consolidação do judaísmo ortodoxo após 70 dC, "a sua posição como uma oposição minoritária, evidentemente, levou à perseguição da comunidade e, finalmente à sua emigração do seu território nativo na Jordania para o leste, começando em Harran e, em seguida, nas regiões do sul da Mesopotâmia ". Por fim, a comunidade se instalou na região dos rios Tigre e Eufrates, onde poderia continuar o ritual dos iniciados batizando em "águas vivas" (rios) que simbolizam o conectar de suas almas com os "celestes rios Jordão de Luz".

O Novo Testamento-Ish Or com provérbios ao modo de Jesus 
Esta comunidade religiosa antiga, também conhecida como os Nazoreanos, ainda usa um dialeto da língua aramaica; eles possuem uma enorme quantidade de escrituras maravilhosas, a maioria na forma de salmos ou hinos.

Antes de começar o estudo de alguns escritos visionários nas escrituras Mandeanas, quero compartilhar alguns exemplos de passagens que soam um pouco "familiar" para os nossos ouvidos 
- Novo Testamento ou passagens semelhante às de Jesus.

Estas seriam as palavras faladas por aqueles que vieram do mesmo meio semita de língua aramaica, como fez Jesus e outros messias do Oriente Médio:

"Eu sou um pastor que ama suas ovelhas; 
eu protejo as ovelhas e os cordeiros ... 
eu os conduzo e dou-lhes água para beber 
na palma da minha mão, 
até que bebam a se fartar."

"Um pescador eu sou, 
que sou o eleito entre os pescadores, 
o chefe de todos os pescadores."

"Dê pão, água e abrigo para os pobres 
e às pessoas acuadas que sofrem perseguição. "

"Amem e apoiem uns aos outros."

"Quando você vê alguém que está com fome, 
então satisfaça a sua fome. 
Quando você vê alguém que tem sede, 
em seguida, dai-lhe de beber, 
pois quem dá, recebe ".

"Quem liberta um prisioneiro vai encontrar 
um Mensageiro da Vida avançando 
para encontrá-lo".

"Oh meu escolhidos! Não coloquem sua confiança 
nos reis, governantes e rebeldes deste mundo, 
nem nas forças militares, armas, conflitos, 
e nos anfitriões que eles montam, 
nem em prata e ouro ... 
Seu ouro e sua prata não irão salvá-los. 
Sua autoridade morre e chega ao fim ".

As palavras "busca e encontrarás" aparecem em inúmeras ocasiões nas escrituras Mandeanas, e de fato muito mais frequentemente que no Novo Testamento. E o termo "Lugar da Vida", muitas vezes usado nos textos Mandeanos, também aparece no Evangelho de Tomás .

A primeira onda de Gnosis

Houve algum tipo de transformação no pensamento [consciência] que ocorreu há 2.000 anos no Oriente Médio, o que levou ao nascimento de dezenas de novos movimentos religiosos dentro e fora do judaísmo, incluindo os Sethianos, os Essênios, e várias formas e expressões do cristianismo. Muitos deles são classificados como "gnósticos", ou seja, os que se concentraram no conhecimento espiritual/místico.

Este foi o momento da primeira onda de Gnosis no mundo ocidental - a centelha foi acesa.

Algumas almas começaram a acreditar que lhes era possível, pessoalmente, conhecer os mistérios de Deus e dos céus, e procuraram a sabedoria e a orientação espiritual dos vários mestres, místicos, profetas e apóstolos que estavam ao redor naquele momento. Para o Nazoreanos (Mandeanos), João Batista foi o Professor de Deus que tinha sido enviado "da Luz" para batizar ou iniciar as almas para a experiência de o Conhecimento da Vida. A "Grande Vida", é o nome de Deus nas escrituras Mandeanas.

Existem alguns exemplos de literatura visionária nos Manuscritos do Mar Morto, várias descrições de coisas que estão acontecendo nos céus. Os textos Mandeanos parecem ser uma continuação dessa tradição visionária do - misticismo da Luz e da Ascensão

Na minha opinião, as escrituras Mandeanas provavelmente representam os documentos mais celestes ou sobrenaturais do oeste, repleta de visões fora-deste-mundo; de Deus, descrições do céu, almas, anjos, e vida após a morte. Eles falam diretamente para o coração e a alma do leitor através de hinos e orações de incrível beleza.

A vinda do mensageiro da luz

O papel do mensageiro celeste é dar a experiência mística de luz para as almas e, finalmente, orientá-las de volta ao Lugar de Luz, o termo Mandeano para o mais alto dos céus, onde a Grande Vida (Deus) reside. Aqui estão algumas passagens dos livros sagrados Mandeanos sobre o Manda-d-Hiya - o grande redentor celestial:

O Iluminador dos Mundos de Luz

Em nome da Grande Luz,
Luz Sublime seja louvada. 

"Do Lugar de Luz eu saí,
a partir de ti, Brilhante Habitação. 
Venho para tocar os corações, 
para medir e tocar todas as mentes, 
para ver em cujo coração eu habito. 
Quem pensa em mim, esse eu acho, 
todo aquele que invocar o meu nome, 
o seu nome eu vou chamar. 
Todo aquele que reza a minha oração na Terra, 
a sua oração vou oferecer ao Lugar de Luz ".

"Eu vim e encontrei os verdadeiros corações a crer. 
Quando eu não estava habitando entre eles, 
mas o meu nome estava em seus lábios, 
levei-os e guiei-os ao Mundo da luz."

"Tornei-me o Iluminador dos mundos de luz. 
Tornei-me um rei para os Nazoreanos, 
que recebem louvores e estabilidade 
através do meu nome. 
E pelo meu nome eles ascendem 
à Praça da Luz. 
Quanto aos justos eleitos 
que me vestiram como uma peça de roupa, 
seus olhos estavam cheios de luz, 
e o Manda-d-Hiya [Conhecimento da Vida] 
​​foi criado em seus corações ".

Abraçado pela Luz

Os encontros místicos registrados nas escrituras dos Mandeanos podem parecer às vezes como antigas experiências de quase-morte (EQM), as visões de lmãs que foram abraçados pela Luz há muito tempo:

"Quando cheguei ao riacho das águas
Uma radiante centelha me encontrou
Me levou pela palma de minha mão direita
E conduziu-me por sobre as correntes da morte
Foi trazida a resplandescência e dela fui revestido
Foi trazida a luz e nela fui envolvido..."

"[Oração]Filhos dos Bons
Mostre-me o caminho para os Uthras (espíritos. anjos)
A Senda da ascensão pela qual teu Pai
Elevou-te para o lugar da Luz

"Ele levantou-se
e me levou com ele
e não me deixou
nesta casa perecível. "


Esta é a minha interpretação.

No relato acima, após esta alma ter atravessado para o outro lado, foi recebida por uma "centelha de Resplendor", (segundo outra tradução) um libertador ou guia que não só acompanhou a alma para o além, mas também deu lhe o seu manto celestial de Resplendor - uma peça de roupa feita de luz. 

Não está claro para mim se à alma, literalmente, foi dado um robe para colocar, ou se talvez esta seja uma outra maneira de descrever o processo de deixar o corpo no momento da morte, tirando o manto do corpo físico, o que fez a alma se ver como um ser de luz. Em qualquer caso, a alma, então, ora ao seu auxiliar e orientador para ser escoltada para cima, para o Lugar de Luz. 

Uma outra versão diz:

"Eu levantei meus olhos para o céu
e minha alma esperou pela Casa da Vida.
E a Vida (Deus), que ouviu o meu clamor,
enviou me um libertador."


Esta versão também descreve o encontro com o ser celestial (centelha de Radiância) que acompanhava a alma sobre as águas da morte, e acompanhou-a durante a ascensão até o mundo de luz. O hino termina com estas palavras:

"E a Vida sustentou a Vida!

A Vida encontrou o que lhe é próprio.

Em meu próprio ser reencontro a Vida, 
e minha alma descobriu 
o que tinha buscado. 
Renovado na Vida e vitorioso." 

Visões das Grandes Almas no Lugar da Luz 

As Grandes Almas são descritas como seres luminosos que vivem em um mundo de Luz infinita com um Ser Supremo de Luz. Os céus do hiperespaço são atravessados ​​por correntes espirituais de "Águas Vivas", afluentes do rio Jordão Celestial de Luz. As almas são descritas como seres radiantes que brilham umas sobre as outras como as estrelas no centro da nossa galáxia:

"Elas estão a milhares e milhares de quilômetros 
distantes uma das outras 
e ainda assim uma é iluminada 
pela radiância das outras".
O principal nome para o mais alto Deus na tradição Mandaean é "A Grande Vida."

Muitos dos seus hinos de oração começam com esta invocação:

"Em nome da Grande Vida,
Luz Sublime seja louvada ".

"Vivente", um termo encontrado no Evangelho de Tomé nos escritos gnósticos orientais, é usado em textos Mandeanos para Deus. A Grande Vida é também referido como o Rei da Luz, um ilimitado radiante Ser de compaixão e amor:

"Ele é a Luz, em quem não há trevas,
o Vivente, em quem não há morte, 
o bom, em quem não há dolo, 
o Gentil, em quem não há confusão, 
o UM, em quem não há o veneno da amargura." 

O termo "Grande Espírito" também é usado em várias ocasiões nas escrituras Mandeanas.

[Aqui se encerra a tradução do texto de James Bean]

Uma Introspecção sobre um Poema Mandeano

Os Mandeanos compõe um grupo gnóstico que vem se manifestando sem interrupções desde sua origem como os seguidores de João Batista. Esse grupo tem como seu livro de sabedoria o GINZA do qual traduzi o poema "A Canção da Ascenção" que trata fiel e profundamente do caminho de salvação do discípulo após seu desligamento físico.

Os Mandeanos se encontram em extinção pois habitam territórios do Iraque e Irã e certamente não resistiram ao caos e a carnificina ali dominante, Provavelmente não há mais do que uma dezena de milhar de reminiscentes. 

Elaborei o vídeo que apresento em seguida sobre esse poema. 

A tradução as imagens e a música me ajudam muito numa introspecção profunda sobre esse tema, vital do ensinamento gnóstico. Espero que também assim seja com os que o assistirem.

Os Mandeanos se encontram em extinção pois habitam territórios do Iraque e Irã e certamente não resistiram ao caos e a carnificina ali dominante, Provavelmente não há mais do que uma dezena de milhar de reminiscentes. 

Clique e veja o vídeo: 


Eis o poema:

A Canção da Ascenção

"Eu voo e para lá prossigo
Até chegar às guaritas do Sol
Eu lamento: 
“Quem me guiará além das guaritas de Sãmïs?”
“Teus méritos, tuas obras, tuas dádivas e tua bondade 
Te guiarão além das guaritas de Sãmïs”
Quão amplamente me rejubilo!
Quão completamente meu coração se alegra!
Quanto anseio!
Quanto anseio pelo dia do término de minha luta,
Pelo dia do término de minha luta
E pelo meu rumo traçado ao lugar da vida 

Eu acelero e para lá prossigo 
Até chegar às guaritas da Lua
Quando cheguei ao riacho das águas
Uma radiante centelha me encontrou 
Me levou pela palma de minha mão direita
E conduziu-me por sobre as correntes da morte
Foi trazida a resplandescência e dela fui revestido
Foi trazida a luz e nela fui envolvido
E a Vida sustentou a Vida!

Filhos dos Bons
Mostre-me o caminho para os Uthras
A Senda da ascensão pela qual teu Pai
Elevou-te para o lugar da Luz.

Paulo Azambuja



sexta-feira, 27 de março de 2015

Manifesto para uma Ciência pós-materialista





Amigos: 



Dentro de nosso acompanhamento constante da realização dessa “Atualidade” nos chega agora, em março de 2015, este manifesto científico recém lançado. 

A percepção gnóstica, já em 2008, permitiu-nos, no livro “Atualidade do Cristianismo Gnóstico”, antecipar alguns pontos deste manifesto 

Vejamos o texto do livro: 


“Outra característica importante também surgida nesses últimos séculos foi a emergência do Raciocínio Concreto, desde a Renascença. Só que ainda sofrendo durante os primeiros duzentos anos uma repressão muito grande do sistema de crença dominante com força policial capitaneada pelo sistema da igreja romana.

Esse poder opressor só foi atenuado com a Revolução Francesa. A partir de então a ciência, que é filha direta desse raciocínio concreto, começou a se consolidar e a produzir cada vez mais frutos que são a tecnologia.

Até fins do século XIV, referindo-nos a Kant, que fez a distinção entre o que chamou: Razão Pura e Razão Prática, o âmbito de atuação da ciência era o âmbito da razão prática e o âmbito das transcendências, das éticas, enfim das situações subjetivas ficava, no contexto da razão pura. No entanto o poder econômico que a ciência ganhou com a tecnologia, fez com que os cientistas questionassem: Por que razão pura? Nós podemos com a ciência resolver todos os problemas e dar todas as respostas!

Desse modo, uma ideologia que já vinha se formando - o Naturalismo ou Materialismo Reducionista - que já era inspiração para a ciência, passou então, de inspiração, à afirmação científica. Isso é: a ciência passou a afirmar o materialismo reducionista como se fosse algo sujeito à comprovação pelos seus próprios métodos. Desse modo, por exemplo, para a ciência todo o conceito de existir se basearia na química.

Mas na verdade isso não é científico. Porque para ser científico teria que passar pelo crivo comprobatório do método científico. No entanto, além das especulações desejosas de uma fé e de um poder materialistas, a obtenção dessas provas resiste a qualquer resultado conclusivo já por quase duzentos anos.

E mais ainda, à luz de descobertas científicas recentes a tese materialista não se adéqua a uma série de experiências laboratoriais publicadas. Como por exemplo, em experiências estatisticamente consistentes da parapsicologia experimental (busque em Dean Radin), na microbiologia (procure em Michael Behe) e da medicina intensiva, nas chamadas “Experiências de Quase Morte” (EQM) nas quais há uma verificação controlada e testemunhada de estados de consciência ativos, observados em pacientes enquanto passaram por ocorrências de não funcionamento cerebral. (pesquise em NDE ou EQM). Procure também o trabalho do físico e espiritualista brasileiro Laércio Fonseca.

Essa atitude de afirmação materialista pela ciência é, portanto, meramente um cientificismo na qual, revestindo-se de uma capa e de um status de ciência, mas não conseguindo resistir a uma comprovação pelos próprios métodos científicos, não passa na verdade de uma ideologia, de uma profissão de fé.

E assim chega, já nos seus estertores, ao nosso século XXI. Mas ainda muito forte e ainda influenciando toda uma mentalidade maciçamente suportada pela mídia e pela academia que a partir do ocidente se transformou numa mentalidade global - uma mentalidade Reducionista Materialista planetária.

Ora, se existir é algo meramente químico, se a consciência é um epifenômeno bioquímico, então porque não se fazer com a química a expressão do apogeu da nossa vida e de nossa consciência? Frente às premissas materialistas, não é essa é uma conclusão bem coerente e razoável?

No entanto, verifica-se o desalento social, familiar e individual, quando essa mentalidade apresenta suas consequências, como nas drogas, no vício, na exacerbação sexual, etc. Aí os frutos são amargos e então há surpresa e perplexidade da humanidade; humanidade essa que passiva ou ativamente, no entanto, participa e incentiva das concepções e os decorrentes atos, do materialismo reducionista.”

Paulo Azambuja

***
E agora o manifesto: 


Manifesto para uma Ciência pós-materialista
Publicado em 22 de marco de 2015


"Mais de 70 cientistas de diferentes áreas assinaram um manifesto para uma ciência pós-materialista, que foi publicado na revista “Explore”.

Para Dave Pruett, ex-pesquisador da NASA, Professor Emérito de Matemática da Universidade James Madison, este documento significa uma revolução conceitual e representa algo comparável na ciência ao que significaram para a religião cristã as 95 teses de Martinho Lutero.

Os redatores do manifesto foram Mario Beauregard, Gary E. Schwartz e Lisa Miller, em colaboração com Larry Dossey, Alexander Moreira-Almeida, Marilyn Schlitz, Rupert Sheldrake e Charles Tart. Todos são considerados cientistas heterodoxos (e em alguns casos, hereges) pelos setores dominantes da ciência, mas assim também o foram Copérnico, Galileu, Kepler ou Einstein, diz Pruett.

O Manifesto pós materialista foi a conclusão do encontro sobre ciência, espiritualidade e da sociedade, realizado no Canyon Ranch, em fevereiro de 2014 e organizado por Schwartz e Beauregard, da Universidade do Arizona, e Lisa Miller, da Universidade de Columbia. Até agora, mais de 70 cientistas de todo o mundo juntaram-se ao manifesto com suas assinaturas.

Manifesto para uma Ciência pós-materialista 

1- A visão de mundo da ciência moderna é essencialmente o resultado de pressupostos intimamente associados com a física clássica. O materialismo – a ideia de que a matéria é a única realidade – é um desses pressupostos. Outro pressuposto relacionado é o reducionismo, a noção de que as coisas complexas podem ser entendidas, reduzindo-as para interações entre suas partes ou a coisas mais simples mais fundamentais, como as minúsculas partículas materiais.

2- Durante o século XIX, estes pressupostos se estreitaram tornando-se em dogmas e levando a um sistema de crença ideológica que tem sido chamado de “materialismo científico”. Este sistema implica na crença de que a mente não é nada mais do que a atividade física do cérebro e que nossos pensamentos não podem ter nenhum efeito sobre o nosso próprio cérebro ou corpo, sobre nossas ações ou sobre o mundo físico.

3- A ideologia do materialismo científico tornou-se dominante na academia durante o século XX. Tão dominante que uma maioria de cientistas começou a acreditar que ele estava baseado em evidências empíricas bem estabelecidas e representavam a única maneira racional para se ver o mundo.

4- Os métodos científicos baseados na filosofia materialista foram muito bem sucedidos, não só para aumentar a nossa compreensão da natureza, mas, permitindo maior controle e liberdade através de avanços tecnológicos.

5- No entanto, o domínio absoluto do materialismo prático na academia foi restringiu e prejudicou seriamente o desenvolvimento do estudo científico da mente e da espiritualidade. A fé nesta ideologia cientifica como o único quadro explicativo da realidade levou a se negar a dimensão subjetiva da experiência humana. Isto levou a uma compreensão gravemente distorcida e empobrecida de nós mesmos e de nosso lugar na natureza.
O materialismo tem dificultado o estudo científico da mente e espiritualidade
'A mudança de uma ciência materialista para um pós-materialista pode ser de importância vital para a evolução da civilização humana. Pode ser mais relevante do que a transição do geocentrismo para heliocentrismo. '

6- A ciência é essencialmente uma abordagem não-dogmática e de mente aberta para se adquirir conhecimento sobre a natureza através da observação, investigação experimental e explicação teórica de fenômenos. Sua metodologia não é sinônimo de materialismo e não deve comprometer-se com qualquer conjunto particular de crenças, dogmas e ideologias.

7- No final do século XIX, os físicos descobriram fenômenos empíricos que não podiam ser explicadoS pela física clássica. Isto levou ao desenvolvimento durante os anos 1920 e início dos anos 1930 um revolucionário novo ramo da física chamado mecânica quântica. (MC). A MC tem questionado os fundamentos materiais do mundo, mostrando que os átomos e partículas subatômicas não são realmente objetos sólidos e que não existem com certeza em um lugar e de tempo definidos. Mais importante, a MC explicitamente introduziu a mente em sua estrutura conceitual básica para descobrir que as partículas observadas e o observador – o físico e o método utilizado para a observação - estavam vinculados. De acordo com uma interpretação do MC, este fenômeno implica que a consciência do observador é vital para a existência de eventos físicos observados e que eventos mentais podem afetar o mundo físico. Os resultados de experiências recentes suportam esta interpretação. Estes resultados sugerem que o mundo físico não é o componente único ou principal da realidade e não pode ser plenamente compreendido sem relacioná-lo com a mente.

8- Os estudos psicológicos têm mostrado que a atividade mental consciente pode influenciar causalmente o comportamento e que os valores explicativos e preditivos dos agentes causais (por exemplo, crenças, objetivos, desejos e expectativas) são muito elevados. Além disso, pesquisas em psiconeuroimunologia indicam que nossos pensamentos e emoções podem afetar significativamente a atividade dos sistemas fisiológicos (por exemplo, imunológico, endócrino e cardiovascular) conectados ao cérebro. Além disso, exames de neuroimagem de auto-regulação emocional, a psicoterapia e o efeito placebo mostram que os eventos mentais influenciam significativamente a atividade cerebral.

9- Os estudos dos chamados "fenômenos psi" indicam que, por vezes, pode-se receber informações significativas sem a mediação dos sentidos ordinários de modo que transcendam as fronteiras espaciais e temporais habituais. Além disso, a pesquisa mostra que podemos influenciar - à distância - mentalmente em dispositivos físicos e organismos vivos (incluindo outros seres humanos). A pesquisa psi também mostra que as mentes separadas podem se comportar de maneiras que não são correlacionados localmente, por exemplo, as correlações entre mentes separadas, hipoteticamente, não mediadas (não vinculadas a qualquer energia do sinal conhecido), absolutas (não degradadas como a distância) e imediatas (parecem ser simultâneas). Estes eventos são tão comuns que não podem ser vistos como anômalos ou como exceções às leis naturais, mas como indicadores da necessidade de um quadro explicativo mais amplo que não pode contar com o materialismo.

10- A atividade mental consciente pode ser experimentada durante a morte clínica devido a uma parada cardíaca [isto é o que tem sido chamado de "experiência de quase morte" (ECM). Algumas ECM provaram experimentar percepções verídica da realidade externa (percepções correspondentes à realidade) que ocorreram durante a parada cardíaca. Pessoas que sofreram EQMs também têm sofrido profundas experiências espirituais durante a parada cardíaca. Note-se que a atividade elétrica do cérebro cessa alguns segundos após a parada cardíaca.
Os fenômenos psi e as ECM apoiam a conclusão de que a mente pode existir separadamente do cérebro

11- Os experimentos controlados em laboratório têm documentado que pesquisadores com habilidades mediúnicas (pessoas que asseguram poder se comunicar com as mentes das pessoas que morreram fisicamente) podem às vezes obter informações muito precisas sobre as pessoas falecidas. Isto permite concluir que a mente pode existir separadamente do cérebro.

12- Alguns cientistas e filósofos especialmente imbuídos do materialismo rejeitam o reconhecimento desses fenômenos, porque eles não são consistentes com a sua exclusiva visão de mundo. A rejeição das investigações pós-materialistas da natureza, ou a recusa em publicar descobertas científicas importantes que suportam um quadro pós-materialista são contraditórias com o verdadeiro espírito de investigação científica, de acordo com o qual os dados empíricos devem ser sempre tratados de forma adequada. Os dados que não se encaixam nas teorias e crenças favoritas não podem ser negligenciados a priori. Esse desprezo é do domínio da ideologia, não da ciência.

13- É importante entender que os fenômenos psi, as ECM em paradas cardíacas e as evidências replicáveis de investigadores médiuns credíveis parecem anomalas somente quando vistas através da lente do materialismo.

14- Além disso, as teorias materialistas não conseguem explicar como o cérebro cria a mente e não podem explicar as evidências empíricas mencionadas neste manifesto. Esta falha nos diz que é hora de nos libertarmos dos grilhões e viseiras da velha ideologia materialista, para ampliar nossa compreensão do mundo natural e aderirmos a um novo paradigma pós-materialista.

15- De acordo com o paradigma pós-materialista:

a. A mente é um aspecto da realidade tão essencial como o mundo físico. A mente é fundamental no universo e não pode ser derivada da matéria ou reduzida a algo mais básico.

b. Há ligações profundas entre a mente e o mundo físico.

c. Os cientistas não devem temer a investigar espiritualidade e experiências espirituais, porque eles representam um aspecto central da existência humana."

d. A mente (vontade/intenção) pode influenciar o estado do mundo físico e agir de maneiras não-locais, nem limitar-se a pontos específicos no espaço, como o cérebro e o corpo, ou pontos específicos no tempo, como o presente. Como a mente pode influenciar não localmente sobre o mundo físico, as intenções, emoções e desejos de um experimentador não estão completamente isolados dos seus resultados experimentais, mesmo em modelos experimentais controladas e às cegas.
As mentes são aparentemente ilimitadas e podem ser vistas de modo a que sugerem a existência de uma única mente que inclui todas as mentes individuais.

e. As ECM em parada cardíaca sugerem que o cérebro funciona como um receptor da atividade mental, ou seja, a mente pode funcionar através do cérebro, mas não é produzida por este. A ECM ocorrendo em parada cardíaca, junto com a evidência de pesquisadores médiuns, sugerem a sobrevivência da consciência após a morte do corpo, bem como a existência de outros níveis da realidade que são imateriais.

f. Os cientistas não devem temer investigar a espiritualidade e as experiências espirituais, porque elas representam um aspecto central da existência humana.

16- A ciência pós-materialista não rejeita as observações empíricas nem o grande valor das realizações científicas feitas até agora. Busca ampliar a capacidade humana de compreender melhor as maravilhas da natureza e, no processo, redescobrir a importância da mente e do espírito, como partes do tecido central do universo. O pós materialismo inclui a matéria que é considerado como um constituinte básico do universo.

17- O paradigma pós-materialista tem implicações de longo alcance. Altera fundamentalmente a visão que temos de nós mesmos, restaura-nos a dignidade e poder, como seres humanos e como os cientistas. Este paradigma cultiva valores positivos como o respeito, a compaixão e a paz. Ao enfatizar a profunda ligação entre nós e toda a natureza, o paradigma pós-materialista promove a conscientização ambiental e preservação de nossa biosfera. Além disso, não é novo, mas tem sido esquecido durante 400 anos, que uma compreensão viva e transmaterial pode ser a pedra angular da saúde e bem-estar, como tem sido sustentado e preservado na prática antiga do corpo-mente-espírito, tradições religiosas e abordagens contemplativas.

18- A mudança de uma ciência materialista para uma pós-materialista pode ser de importância vital para a evolução da civilização humana. Pode ser mais relevante do que a transição de geocentrismo para heliocentrismo.

***



sábado, 21 de março de 2015

ORDEM A PARTIR DO CAOS


E QUE PRIMEIRO SE FAÇA O CAOS


Amigo: Por Favor faça seus comentários sobre o texto:

O PSDB NÃO É MAIS O GRANDE ADVERSÁRIO. CONHEÇA O NOVO ADVERSÁRIO DA ESQUERDA.

Paulo Azambuja: Muito interessante. Na verdade "direita" e "esquerda" que caracterizaram as lutas sociais e políticas do sec XIV e até a década de 80 do século passado (queda da URSS), hoje não tem mais nenhum sentido; são apenas rótulos mortos jogados ao emocional e os manipuladores, e me parece que só eles, se apercebem bem disso. As pessoas do PT, do PSOL, do PSDB... não sabem disso e raciocinam (as que raciocinam sobre alguma coisa) sob os velhos paradigmas num mundo que não mais os suporta e que, com um poder arrasador, os está aniquilando.

Você pode chamar o regime chinês de comunista ou mesmo de socialista? E o da Coréia do Norte, o que é de fato? Você pode chamar o regime americano, da EU ou o do Japão, com o apoio incondicional aos banqueiros sem nenhuma concorrência e com vários e sofisticados truques como a emissão constante de débitos a partir do nada, como capitalista?

A América latina com a Venezuela, Bolívia e Brasil, cada qual segundo seu porte e cultura, lograram algum avanço na inclusão social e isso contraria frontalmente a ideologia da “Nova Ordem.”

O mundo inteiro está sendo dominado por uma elite que pretende exterminar a maioria da população “inútil”, mas não sem antes robotizá-la, lavando-lhe totalmente qualquer traço de raciocínio lógico que a evolução tenha-lhes conferido. E essa NOVA (ORDEM) que você mostrou no artigo é parte desse movimento internacional produtor e mobilizador de zumbís. 

É o “Admirável Mundo Novo”, o orweliano “1984”. Primeiro levam o CAOS ao seu máximo e em seguida aparecem como salvadores e organizadores da manada, isso antes de leva-la ao matadouro. Certamente isso será tentado, ou algo como isso.

Pois é amigo e não é só na política. Tudo está colapsando. Para se fazer algo, esse algo tem que ser realmente NOVO não poderemos nos valer muito dos processos e valores velhos e, como essa elite sabe disso, ao invés de um NOVO libertador propõe essa “NOVA” aniquiladora.

Aprenderemos o verdadeiramente NOVO com a observação arguta de cada surpresa que nos vai aparecendo nessa rápida sucessão de desconstruções.

A preparação para esse aprendizado só depende da nossa profunda atenção e sensibilidade, em autonomia emocional e mental, afastando-nos das fontes poderosas de manipulação que como estamos vendo, agora chegando ao Brasil, cada vez mais perto de nós, já produziu centenas de milhares (ou mais) destes zumbís.




Paulo Azambuja

sábado, 8 de novembro de 2014

DAVID ICKE - O DESPERTAR



David Icke expõe a "Conspiração dos Arcontes e o Despertar com o Desmoronamento da Matrix"
 "Wembley Arena", em 28/10/ 2014

Estou traduzindo esse recente e muito apropriado, inclusive para o atual momento do Brasil, resumo da palestra de David Icke feito por por Anna Bragga.

Paulo Azambuja


"O desempenho em Wembley mostrou Icke mantendo a audiência por dez horas na palma de sua mão. Uma das mais amadas e zombadas figuras públicas do mundo; o ex apresentador esportes da BBC-TV, autor e palestrante, David Icke, já percorreu um longo caminho desde de sua escandalosa primeira entrevista de 1991 em Wogan, até alcançar algo como um status cult nessa última maratona, com seu desempenho de sábado em Wembley.

Por mais de 10 horas, Icke prendeu a atenção de cerca de 12.000 pessoas, algumas das quais vindas de várias partes do mundo, na medida em que ele desafiava cada norma social, crença e suposição sobre a natureza da realidade, mergulhando ainda mais fundo no buraco do coelho do que ousou a maioria dos teóricos da conspiração. 

“O maluco está de volta", proclamou ao subir ao palco, antes de habilmente lançar essa ideia de volta aos seus detratores – a imposição ao povo da nossa "falsa realidade", através de "O Programa da Bolha" da educação controlada pelo Estado, da mídia, da ciência, da política, da medicina e da legislação.

"Precisamos dar fim ao normal”

Aquecendo para o seu tema, “Despertem”, Icke não perdeu tempo ao martelar a ideia de que estamos vivendo em um hospício que aceitamos como normal. 

"Não há nenhuma necessidade que uma única pessoa esteja com fome ou sem-teto neste planeta", advertiu. "A maioria das pessoas são encapsuladas pelo ‘programa’ enquanto que as demais, aquelas que são capazes de acessar uma outra realidade, são chamadas de loucas. "

A grande maioria de nós está, sem saber, sofrendo, escravos de uma mentalidade insalubre, disse ele. Estamos experimentando os fenômenos psicológicos de dissonância cognitiva, onde as nossas crenças e comportamentos estão em conflito, com a “síndrome de Estocolmo” - em ligação traumática com o sequestrador. Isso tudo foi resumido divertidamente como : "The Bamboozle." [traduzindo livremente para um termo que já uso: “A Zumbificação”]

Icke discorreu sobre as obras de artistas pioneiros, pensadores e cientistas para apoiar suas teorias. Nomes como: Nicolas Tesla, Leonardo Da Vinci, Osho, Einstein, Carl Sagan, Bob Marley e Gandhi, enquanto lançava suas imagens no telão em rápida sucessão.

Nossa capacidade de "decodificar a realidade" está ligada ao que somos capazes de perceber, continuou. Sábios e xamãs têm sido capazes de ver além da estreita faixa de frequência da luz visível. 

Não é coincidência que a glândula pineal localizada no cérebro, também conhecida como "olho da mente", está sendo calcificada com a introdução de flúor na nossa água.

Icke lançou um duro ataque contra o encobrimento pelo ‘estabelecimento’ da cadeia de pedofilia. 

O rumo intensivo da metafísica e da teoria quântica evoluiu para abranger a presença ubíqua de campos eletromagnéticos que conectam tudo. 

"O coração é o mais poderoso campo eletromagnético do corpo; ele SABE”, disse ele. "E é por isso que eles querem encarcera-lo, com a depressão, o medo e a preocupação. O cérebro obedece ao coração. Quando o coração, o cérebro e o sistema nervoso central estão em harmonia, nós estamos em um estado elevado de consciência." 

"O mundo está estruturado de forma a colocar-nos em baixos estados vibracionais de emoção. Nossa realidade é semelhante ao filme ‘Matrix’. Precisamos parar de viver a mentira sobre quem somos. Estamos em uma prisão do intelecto e não podemos conectar os pontos e assim visualizarmos a imagem. "

A ideia de que o universo é um holograma existente na forma de uma onda de informação pode ser um conceito difícil de entender para muitos, mas com recentes artigos publicados na ‘New Scientist’ e na ‘Scientific American’, ela está ganhando maior aceitação.

O Sequestro dos Arcontes 

Se as três primeiras horas da palestra não conseguiram quebrar as suas falsas programações - supondo que você chegou como um 'normal' - a próxima sessão pode ter sido um golpe de martelo.

Mesmo protestando e lutando o sistema está fadado ao fracasso, enfatizou Icke, preparando seu público para uma mudança ainda maior na sua percepção. Os políticos são apenas fantoches, e também não é das corporações que os eventos estão emanando. Quando você vai mais fundo, você vê os Rothschilds, mas isso ainda não é tudo; 25 anos de pesquisa o levou à conclusão de que "a realidade está repleta de diferentes níveis de vida-consciência".

O que as pessoas realmente precisam acordar é para o fato de que esta realidade foi sequestrada por uma força invisível que os gnósticos costumavam chamar de "Arcontes", disse ele. Esta "verdade" que estava, nos tempos antigos, armazenada na Biblioteca de Alexandria e que era também conhecida pelos cátaros franceses e, com nomes diferentes, por muitas outras culturas, teve que ser destruída para que um "falso deus " pudesse ser instalado no controle desse mundo.

"A mente ‘Archontica’ é a mente dos psicopatas, mentirosos patológicos, sem nenhuma empatia ou vergonha, nenhum remorso.” 

É a mentalidade vista nos líderes mundiais, esta cada vez mais, na polícia militarizada e nos banqueiros" e continuou Icke a mostrar no telão imagens do mal para ilustrar" a inversão da palavra “VIDA”. 

"A humanidade tem sido mantida ignorante deste culto à morte e dos seguidores dos Arcontes, como por exemplo os satanistas e a mídia arcôntica, estão obcecados com a morte e o assassinato. O “Olho Que Tudo Vê” impresso em notas de um dólar é um símbolo da rede arcôntica.

A maioria dos políticos são das linhagens sanguíneas dos Arcontes ou seus agentes - os psicopatas e o sistema legal impõe a vontade do sistema político. A arcôntica “Agenda 21” é um plano para introduzir a Sociedade dos “Jogos Vorazes”. Estamos caminhando para um mundo sem dinheiro em uma Grã-Bretanha tipo “gaiolas de coelho " em assentamentos humanos. Ela já está sendo projetada com iniciativas das comunidades locais, mas na verdade é centralizada através da União Europeia.

Há uma guerra sobre nossa saúde para enfraquecer-nos sistematicamente de modo a que assim eles possam nos penetrar. Se você está doente, você é mais fácil de se controlar. A grande ADM é a guerra contra a saúde humana, com a Big Pharma literalmente sendo a "cena do crime", enquanto eles tentam destruir todas as alternativas.

Híbridos reptilianos possuídos pelos Arcontes

Quando Icke, há muitos anos, colocou a ideia que os reptilianos governam o mundo, ele foi duramente ridicularizado e rotulado de louco. Mas a descrença está se transformando em respeito, na medida em que muitas de suas teorias se tornaram realidade, e várias outras foram encontradas se originando em textos antigos. 

A existência de entidades reptilianas é uma das últimas, tendo sido descrita pelos gnósticos há quase 2.000 anos atrás.

Certas linhagens sanguíneas foram criadas para serem os veículos dessas entidades, continuou ele, enquanto o telão mostrava ilustrações reptilianas da família real. 

"As razões da realeza procriar entre si é manter o campo de informação que tem certos traços da personalidade que os Arcontes querem, porque esses traços não trazem nenhuma compaixão ou empatia. A frequência dos híbridos é muito mais semelhante aos Arcontes do que o resto da população ".

"Temos sido infiltrados por uma força que controla a realidade, porque eles se parecem conosco. As pessoas vão em breve ter de enfrentar os fatos de que é por isso que o mundo é assim como é. "

A relação entre pedofilia e satanismo

Mal parando para respirar Icke lançou-se em um duro ataque contra o encobrimento da pedofilia pelo ‘estabelecimento’, que está agora, graças à Internet, se difundindo abertamente.

"Os pedófilos estão infestando a criação em vários níveis", disse ele. "O número de crianças sendo abusadas em todo o mundo é impressionante. A razão do satanismo e da pedofilia estarem inter-relacionados é porque os pedófilos são possuídos por essas entidades, que lhes estimulam o desejo por crianças de modo a vampirizar suas energias. Ted Heath estava fazendo isso, Savile os estava fornecendo aos ricos e famosos. É por isso que ele nunca foi processado”

Icke está convencido da verdade acabará por se escancarar, e quando isso acontecer, o sistema político e a família Real entrarão em colapso. O acobertamento é muito flagrante, disse ele, com a New Scotland Yard atuando como uma "unidade de proteção política ao pedófilo ".

"Nós podemos mudar o nosso Mundo Arcôntico "

O “ligando os ponto” pelo que David Icke se tornou famoso, continua na medida em que ele desenhou linhas entre as diferentes expressões da mesma conspiração.

A radiação é muito maior do que era há 50 anos, e os chemtrails são parte do plano para levar-nos para longe da consciência infinita, disse ele. A influência de entidades arcônticas está mudando o planeta de modo a fazê-los se sentirem mais em casa, para mudar a nossa atmosfera para a de um "Mundo Arcôntico ".

A agenda trans-humanista, pela qual a tecnologia é inserida no corpo, por exemplo, usando microchips para substituir as drogas, é para fazer que nos tornemos escravos da sociedade. Os Arcontes são uma força robótica e querem fazer os seres humanos como eles. O deus dos reptilianos é a tecnologia.

Visão distópica de Icke do futuro pressupõe que as massas vão ficar coladas aos seus televisores, presas para sempre na mente colmeia da Matrix, que diz: "Eu não tenho nenhum poder". 

É essa uma causa perdida? "De jeito nenhum!", trovejou Icke para rodadas de aplausos. 

"A solução é a consciência.”

Assim que acordarmos o jogo vai terminar. 
Eles estão nos mantendo em engano mental e espiritual, porque estão com medo. Nós vamos acordar. 

Alegria, paz, amor e compaixão vai mudar isso. 
Ao nos desconectarmos do programa tiraremos todo o seu poder.