quinta-feira, 2 de agosto de 2012

MONISMO OU DUALISMO?


Eis um diálogo com uma amiga desse blog:

Questão:

Duas questões não estão claras para mim nesse vídeo (veja o vídeo abaixo - Fundamentos 1 - O Universo da Criação): o dualismo e o reino do Pai fora de mim. Pergunto: Dualismo como? Entendo como dualismo a existência (crença) de dois poderes ou forças no universo. Deus e o que, ou quem que vc considera? Quanto ao "reino do Pai em mim"e as palavras de Cristo "o reino de meu Pai não é desse mundo" tb entendo diferente: 

O "reino do Pai em mim" existe através do momento em que temos a consciência de que "Eu e o Pai somos Um" se "Sou um com o Pai" Ele, que é em si o próprio reino, está em meu - EU CONSCIENTE. Enquanto que "O reino de meu pai não é deste mundo" entendo como O DEUS UNO, enquanto em nós é o DEUS VERSO. Pareceu meio confuso entender que Deus está em mim e seu reino não. Posso ter a consciência do EU SOU ELE mas não ESTOU NELE e NEM ELE EM MIM?


Minha Resposta:
  
Bom dia amiga.

O dualismo/monismo são conceitos relativos: uma coisa pode ser dual em relação à outra e ao mesmo tempo não o ser em relação a uma terceira.

Quando dissemos que há somente um DEUS ABSOLUTO sobre toda a Criação (embora haja ali também diversas forças poderosas - deuses - que LHE são relativas) estamos, neste caso, sendo MONISTAS, pois a relação a que então nos referimos é: DEUS ABSOLUTO X CRIAÇÂO.  (-“Eu e o Pai somos UM”)

Porém consideramos (veja o vídeo abaixo - Fundamentos 1 - O Universo da Criação) que a Manifestação, quanto aos seus respectivos estados de consciência, se divide em extratos distintos que chamamos alí (com objetivos didáticos) de: UNI-VERSO; UNI-INVERSO e UNI-REVERSO

É aí então que surge o nosso DUALISMO, ao comparamos os estados conscienciais: UNI-VERSO x UNI-INVERSO, pois que não consideramos possível um caminho de evolução linear contínua de um estado ao outro. 

No UNI-INVERSO o Reino do Pai está sim Em Mim, mas só em potência, completamente abafado pelo jugo consciencial eônico. E sem a intermediação do UNI-REVERSO não poderá mais se manifestar- “Ninguém vai ao Pai senão por mim” (veja abaixo em "Fundamentos 3 - O Universo do Retorno")

Portanto, quanto à relação DEUS-ABSOLUTO x CRIAÇÃO somos MONISTAS, mas ao mudarmos os termos e compararmos os estados de consciência que chamamos UNI-VERSO x UNI-INVERSO somos DUALISTAS. Assim se explica a aparente contradição.

Sem prendermo-nos a rótulos e buscando sermos bem objetivos e diretos, o que queremos dizer basicamente com nosso dualismo é tão somente que:

1- As forças conscienciais relativas - os deuses (Eons)  ou o deus desse mundo (Authades)- que dominam o nosso atual estado de consciência (UNI-INVERSO), filtram de modo distorcido e desarmônico a emanação do DEUS ABSOLUTOSendo assim: "O reino de meu Pai (UNI-VERSO) não é desse mundo (UNI-INVERSO)"
Abaixo, em Fundamentos 2 - O Universo da Queda desenvolvemos melhor esse afastamento.

2- E, o mais fundamental: há uma descontinuidade entre o nosso estado de consciência atual e o estado de consciência harmônico e equilibrado - crísticoque impera no extrato que designamos como UNI-VERSO.

O corolário dessa segunda afirmação é na verdade radical (de raiz) porque, ao contrário de todo o enfoque teísta e interventor das religiões e do esoterismo corrente, afirmamos que:
  
Não chegaremos à nova consciência por uma evolução linear de nossas bondades ou melhores valores (pois todos, embora necessários, são inexoravelmente relativos e, portanto, duais, oscilantes e perecíveis. - “Não há quem seja bom, nenhum sequer” (veja abaixo em "Fundamentos 3 - O Universo do Retorno")

O advento da Nova Consciência terá que vir por uma descontinuidade “quântica”, uma experiência pós-limite.

Portanto: a evolução no UNI-INVERSO  é relativa - perecível, mortal - e existe tão somente para nos levar a um esgotamento, uma parede, uma CRISE.

E das crises acumuladas chegaremos ao LIMITE e do LIMITE à MORTE POR CRUCIFICAÇÃO da atual consciência, e daí ao irromper descontínuo, na RESSURREIÇÃO e TRANSFIGURAÇÃO, da Nova Consciência Crística, inerente ao UNI–VERSO original  - "O Reino do Pai em Mim", mas não ao nosso atual UNI-INVERSO da queda: - "Meu Reino não é desse mundo. (Veja abaixo em Fundamentos 3 - O Universo da Redenção)

É aí que podemos nos identificar com a essência do que diz Krishnamurty com seu conceito de insight assim também com a experiência de transcendência da mensagem de Eckhart Tolle.(Veja abaixo em “Espiritualização ou Transcendência do Mundo?”)

Grato pela atenção:

Paulo Azambuja


1- Atualidade do Cristianismo Gnóstico - Fundamentos 1 - O Universo da Criação



2- Atualidade do Cristianismo Gnóstico - Fundamentos 2 - O Universo da Queda



3- Atualidade do Cristianismo Gnóstico - Fundamentos 3 - O Universo do Retorno



4 - Eckhart Tolle - Espiritualização ou Transcendência do Mundo?